Vida que segue…

Esperança

Sabe aquela escolha onde parece que somos empurrados a agir, onde um pequeno sussurro invade a sua mente apenas para dizer acorde, não deixe passar, sabe aquela oportunidade?
Às vezes as coisas parecem que estão desenhadas, encaminhadas, definidas, seja lá qual palavra você deseja utilizar, às vezes parece que não temos muitas alternativas e tudo nos leva a apenas uma direção. E de certa forma aquilo que sempre procuramos começa a surgir novamente, aquela briga entre a razão e a emoção, aquela busca por certezas, tudo o que estava adormecido começa a nos consumir mais uma vez.

Sem muitas pretensões a vida vai ditando seu ritmo, algumas peças vão se encaixando, os limites que a mente ousava criar vão desaparecendo, o mundo começa a girar implorando para que saia do lugar. Não faz sentido deixar para depois o que nosso coração diz que deve ser agora, o medo que antes nos paralisava dá lugar a vontade de fazer acontecer, os erros do passado nos fortalecem, a incerteza do futuro nos dá a cautela necessária para aproveitar o presente. Hoje, passado, presente e futuro se misturam em apenas um sentimento, voltamos a acreditar nas pessoas, na cumplicidade do olhar, na conversa perdida, no abraço sem compromisso.

Mas nos engamos, nos enganamos no sentido de olhar apenas um lado da moeda, nos enganamos ao imaginar que o mundo estava girando apenas ao nosso redor, que os caminhos estão traçados apenas para o lugar que queremos ir, onde seremos levados para satisfazer os nossos desejos momentâneos. É difícil aceitar que o outro também tem seu caminho, tem seu momento, tem seu jeito de agir, é difícil aceitar que talvez fomos apenas uma peça que apareceu no momento certo, e que de certa forma foi importante. Nosso ego luta a aceitar ser coadjuvante no livro que brilhou na sua frente, e enquanto enxergamos apenas um lado da moeda, sofremos. Porém, basta entender que nem todos os caminhos são traçados para o futuro que imaginamos, as vezes existem desvios importantes, as vezes é preciso conhecermos novas paisagens, respirar novos ares, deixar a sua marca em terras amigas, basta entender que no livro da vida a próxima página ainda está em branco, basta entender que a vida é marcada por transformações, e nem sempre sabemos por onde andamos e nem onde iremos chegar.

Sua fé, seus valores e suas atitudes serão o seu guia, não adianta lutarmos contra o vento que sopra, podemos ajustar as velas para curtir os desvios que escolhemos, onde sempre seremos levados para os lugares que de alguma forma seremos uteis, que de alguma forma faremos a diferença. Aceitar, compreender e continuar de coração aberto, aproveitando a jornada e a paisagem que nos foi dada, esse é o nosso desafio.

Francisco Ribeiro de Oliveira

Uma opinião sobre “Vida que segue…

  • 6 de junho de 2017 em 04:53
    Permalink

    Belas e sábias palavras Chico. Quando começarmos a aceitar mais as coisas e nos adaptarmos a estas mudanças, a vida se tornará muito mais fácil. Ano passado tinha um outro plano em minha vida e o vento da vida sobrou meu barco para uma direção totalmente contrária. Parabéns pelo texto!

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *